Covid ou não covid, eis a questão

Quem tem acompanhado nossa saga para conseguir viver regularmente em Portugal, já deve ter percebido que nada é muito fácil e que, normalmente, as coisas dão errado antes de darem certo.

Essa história começa a long time ago (muito tempo atrás), quando Paulo Eduardo e eu combinamos que iríamos fazer coisas separadamente para ter um descanso da vida de pais e do dia a dia. Coisas essas que o outro não tem vontade de fazer… eu por exemplo vou fazer umas provas de corrida e almoçar com amigas e ele vai nos botecos com os amigos ou assistir futebol em algum lugar. Nesses momentos o outro fica responsável pela Lara e quem saiu vai feliz e sem culpa.

Essa quarta passada era um dia importante para Paulo Eduardo, ele tinha conseguido comprar ingresso para um jogo da Champions League, Benfica contra alguém (não entendo nada de futebol, mas aparentemente era algo bem legal). Ele já tinha me avisado com bastante antecedência, de tão animado que estava.

Mais ou menos uma hora antes de ele sair, descobrimos que além do certificado da vacina ele teria que apresentar um teste de antígeno negativo. Pesquisamos na internet e achamos algumas farmácias perto do estádio que estavam testando na hora, então deixei ele no trem e ele foi para Lisboa para fazer seu teste e assistir seu jogo.

Eu fui com a Lara no supermercado para comprar um monte de besteiras para comer sozinha vendo filmes de Natal na TV, estava muito animada.

Pelo caminho ele foi me dando notícias. Eu estava preocupada porque aqui, quando tudo parece dar muito certo é porque algo está errado. Mas aparentemente foi tudo bem, o trem chegou na hora, ele achou uma farmácia para fazer o teste e já estava no clima de festa. Essas foram as mensagens que trocamos no whatsapp.

Pois é minha gente, o spoiler já foi dado. O exame deu positivo.

Paulo Eduardo voltou pra casa, meio contrariada eu dividi com ele as gulodices que eu tinha comprado e ficamos confabulando onde poderíamos ter pegado covid. Respeitamos todas as regras de segurança, nunca saímos sem máscara, raramente vamos em lugares fechados, quase nunca comemos em restaurantes, era muito inacreditável. O que imaginamos é que, como a Lara não usa máscara (porque só tem 2 anos), ela podia ter pegado em algum lugar e passado pra gente. Eu digo para a gente porque se ele tinha pegado, eu tinha também, não tem como.

No caminho de volta, Paulo Eduardo passou em uma farmácia e comprou uma caixinha com 5 auto testes (de antígeno) para que eu pudesse testar também. Fiz dois testes, ambos negativos. Ele fez um teste, negativo.

Nessa mesma noite ele ligou para o SNS (Serviço Nacional de Saúde) para reportar o teste positivo, já que esse é o procedimento correto aqui. O SNS disse que iria passar as informações dele para um centro de saúde, que então entraria em contato com ele para passar um pedido de PCR, para que ele pudesse marcar e fazer o teste, já que esse é bem mais preciso e o resultado é o oficial. Tudo isso poderia demorar até uma semana.

Enquanto isso teríamos que ficar em isolamento, sem sair de casa, Lara sem ir na escola, nada. Mas fazer o que? Nós levamos o covid a sério e respeitamos todas as regras.

Na quinta de manhã eu liguei pra escola da Lara e expliquei a situação. Falei que o teste que ele fez na farmácia deu positivo e o auto teste deu negativo. Falei que meus dois auto testes deram negativo. Expliquei que estávamos esperando um retorno do SNS e que ficaríamos em isolamento até segunda ordem. Claro que isso já causou pânico na diretora da escola, porque existem vários procedimentos que eles precisam tomar quando algum pai testa positivo. Combinei com ela que nós três iríamos fazer um teste de antígeno na farmácia naquele dia para ter certeza.

E nessa quinta-feira duas coisas aconteceram. A Lara perdeu a sessão de fotografias de Natal profissional que aconteceu na escola naquele dia e não parou de chover nem um minuto, o que significa que enquanto PE trabalhava eu tive que ficar com a Lara na sala, sem colocar o nariz pra fora, o dia inteiro.

Final da tarde fomos até uma farmácia fazer o teste. A Lara se comportou exemplarmente, mas eu morri de dó de ver aquele mega cotonete entrando no narizico dela. Passados 15 minutos a enfermeira veio com o resultado, todos negativos.

Nesse momento mais duas coisas aconteceram. Eu liguei pra escola da Lara e eles decidiram esperar o PCR antes de colocarem a escola inteira em isolamento e eu comecei a pesquisar sobre probabilidade de falso positivo em testes de antígeno.

Falsos positivos são possíveis, mas muito raros. O principal motivo para um falso positivo no teste de antígeno do Covid é contaminação da amostra. Aí veja você, Paulo Eduardo fez o teste em uma farmácia perto do estádio, com mais um monte de gente amontoada também querendo testar e, como se não fosse suficiente, o rapaz que estava do lado dele no balcão também se chamava Paulo e também morava no mesmo bairro onde moraramos.

Chegou a sexta-feira, choveu de novo, Lara novamente em casa com toda a energia, mas felizmente o centro de saúde ligou. O médico deixou o pedido de PCR lá para irmos buscar (porque não podia ser por email ou mensagem). Fomos imediatamente os três. Nem vou entrar nos detalhes, mas demorou mais de uma hora para PE conseguir pegar a guia e eu fiquei esse tempo todo com a Lara dentro do carro. Entendedores entenderão.

Ele voltou pro carro eram quase 5 da tarde e começou a segunda parte da saga, achar um lugar que fizesse o teste pelo SNS àquela hora da sexta-feira (pelo SNS é de graça, se fosse particular teríamos que pagar uns 70 euros).

Achamos o lugar, ele fez o teste e agora era esperar o resultado, que poderia demorar até 36 horas.

Paulo Eduardo só pensava no jogo que ele perdeu e eu só pensava em ter que ficar a semana inteira isolada com a Lara em casa.

Sábado à noite veio o resultado. Negativo. NEGATIVO. Paulo Eduardo conseguiu ter um raríssimo resultado falso positivo que só serviu para ele perder o jogo, a Lara perder a sessão de fotos e eu perder a cabeça.

E sabe o que é pior? Nada disso nos surpreendeu, porque aqui tudo dá errado antes de dar certo. Beijos de luz.

4 comentários sobre “Covid ou não covid, eis a questão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s