Coisas que aprendi com a minha mãe

Começo dizendo que tive a sorte grande de ter crescido com a minha mãe e, agora aos 41 anos, ainda tenho ela na minha vida, em outro país, mas muito presente. Aliás tenho meus dois pais, mas falarei sobre as coisas que aprendi com o meu pai em um outro momento.

Tem milhões de coisas importantes que eu aprendi com a minha mãe, que me fizeram ser como eu sou hoje, o respeito ao próximo, não ter preconceitos, fazer o que é certo mesmo quando ninguém tá vendo e vários outros valores importantíssimos para a vida. Mas nesse post eu queria falar sobre as coisas mais práticas.

Estou intencionalmente dizendo que eu aprendi com ela e não que ela me ensinou, porque a maioria das coisas eu aprendi observando o que ela estava fazendo. Mas vamos aos fatos, às coisas que eu aprendi com a minha mãe.

  • Nunca deixar a louça na pia para o dia seguinte – Olha, se tem uma coisa que eu odeio é lidar com louça. Isso inclui lavar na torneira, colocar e tirar louça da máquina, guardar a louça limpa, empilhar louça na pia, tudo. Mas se tem uma coisa que eu odeio ainda mais é acordar e ter louça suja na pia. Graças à minha mãe, que nunca deixou louça pro dia seguinte, eu aprendi que, independente da hora, vale a pena lidar com a louça a noite pra ter a alegria de acordar de manhã com a pia limpa. (Pra imediatamente sujar tudo de novo porque louça é uma praga).
  • Congelar salsinha e cebolinha – Sim! Salsinha e cebolinha não perdem o gosto quando congeladas! E desde que eu consigo me lembrar, eu tenho a imagem da minha mãe picando e congelando salsinha e cebolinha pra ir usando conforme necessário. E desde que eu fui morar sozinha eu faço a mesma coisa.
  • Pensar bem antes de comprar alguma coisa – Minha mãe tem fama na família de ser muito, vamos dizer, econômica. Não sai por aí comprando coisas sem necessidade. Eu não consigo ser assim tão “econômica” quanto ela, mas certamente prezo muito meu dinheiro e sempre penso bem antes de comprar alguma coisa. O que nos leva ao ponto seguinte.
  • Roupas saem e voltam para a moda depois de anos, por isso não precisa jogar (doar) tudo fora – Minha mãe provavelmente ainda têm roupas de antes de eu nascer. Ajuda que o corpo dela não mudou muito, mas ela guarda tudo e usa as roupas por muitos anos antes de trocar. Eu lembro que quando eu estava no colégio e tinha festa a fantasia, eu cheguei a usar vestidos que a minha mãe guardou de quando era jovem (os vestidos deviam ter uns 40 anos). E eu amava. Eu não guardo tanto assim, mas minhas roupas também duram muitos anos e eu tenho o maior orgulho em dizer que tal peça tem mais de 10 anos, excelente aprendizado!
  • Arrumar a cama todos os dias faz muita diferença – E essa eu só fui entender depois de mais velha. Enquanto eu morava com a minha mãe ela sempre arrumava a cama dela e pedia que eu arrumasse a minha, eu sempre dizia “mas a noite eu vou dormir e bagunçar tudo de novo” (ahhh a juventude…). Quando eu fui morar sozinha eu passei a arrumar a minha cama todos os dias e até hoje não consigo deixar desarrumada. Acho que arrumar a cama de manhã dá uma sensação de organização que continua pelo dia todo, não sei bem explicar, mas funciona.
  • A organização dos armários da cozinha – Essa eu descobri recentemente, mas percebi que eu arrumo os armários da minha cozinha do mesmo jeito que a minha mãe arruma os dela.
  • Colocar os panos de prato de molho na água quente antes de lavar – Nem sei como eu aprendi isso, acho que eu tive que perguntar como ela fazia porque pano de prato é um assunto que nunca me interessou até eu ter que lavar os meus.
  • Se tem uma coisa importante nesse mundo, essa coisa são os tupperwares – Não sei se era só a minha mãe, mas eu lembro de ela reclamar quando ela mandava comida pra alguém num tupperware e a pessoa não devolvia. Eu achava um exagero, tupperware é baratinho, compra outro. Minha gente, hoje em dia eu não deixo ninguém mexer com os meus tupperwares!
  • E por fim, tome cuidado com o que você faz porque os seus filhos estão olhando – Essa não pareceu importante até a Lara nascer. Hoje quando eu vejo a Lara imitando tudo o que eu faço eu fico pensando o que ela vai dizer que aprendeu comigo quando ela crescer.

Minha mãe provavelmente vai achar tudo isso bastante trivial, e obviamente os ensinamentos mais importantes não têm a ver com cozinha ou roupas. Mas essas que eu listei são coisas que me marcaram, muitas das quais só se tornaram importantes depois que eu cresci. No fim das contas a gente passa a vida tentando ser diferente, pra descobrir que você vai ficando igual à sua mãe :).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s